Imagem: Divulgação/Conexão Tocantins

O parlamentar sugeriu à Casa de Leis que o gestor da pasta justifique os recentes investimentos

Por Camylla Costa

Durante a sessão ordinária desta quarta-feira, 28, o vereador professor Júnior Geo pediu à Câmara de Palmas que convoque o secretário de Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Transporte da Capital, Christian Zini, a prestar contas na Casa de Leis. De acordo com o parlamentar, é preciso avaliar a real necessidade dos recentes gastos da pasta, considerando o atual cenário de crise.

“O País, o Estado e nossa cidade estão passando por um momento economicamente difícil. Então precisamos conter gastos. Porém, vemos a atual gestão investir mais de um milhão em locação de painéis de mensagens”, questionou Geo, reforçando que como cidadão palmense e contribuinte quer entender como está sendo gerido o dinheiro público na pasta.

Ainda segundo ele, a fim de dar transparência aos gastos e investimentos da gestão, é preciso convidar o responsável pela secretaria a prestar contas na Casa de Leis. “Sugiro que o secretário Christian Zini venha à Câmara para justificar e apresentar como o dinheiro tem sido gerido”, recomendou.

Investimentos

A atual gestão tem afirmado cortar gastos desnecessários. No entanto, foi publicado no Diário Oficial do Município um aviso de licitação, no qual a gestão contrata uma empresa especializada na prestação de serviços de locação, instalação, manutenção, deslocamento e suporte técnico de 12 equipamentos denominados painéis de mensagens variáveis móveis. No documento consta que o contrato no valor de R$ 1.360.800,00 foi firmado com a Environmental Project Management Consultoria Ltda.

 

Comments

1 COMENTÁRIO

  1. […] A má gestão com o dinheiro público na Secretaria de Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Trans…, foi relembrada na ocasião. “Reconheço a necessidade de campanhas de conscientização no trânsito, porém precisamos avaliar melhor os investimentos. 10 mil reais por mês não é uma boa ideia no atual cenário de crise em que a gestão aposta na redução dos salários dos servidores. É contraditório”, reforçou. […]

Deixe uma resposta